Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mundo Cristão e Novidades

Informações e Novidades sobre o mundo cristão

Mundo Cristão e Novidades

Informações e Novidades sobre o mundo cristão

10 Fatos sobre os Atributos de Deus

Conheça as 10 coisas que você deveria saber sobre os atributos de Deus

head-2748333_960_720.jpg

  1. Deus é simples.

O que isso significa é: Deus é livre de toda composição; Ele não é a soma de suas partes. Não há uma coisa e outra em Deus. Pelo contrário, Deus é tudo quanto há em Deus. Ele é absoluto, o que significa não há distinções em seu ser.
  1. Quando falamos de seus atributos, devemos ter em mente que, porque sua essência permanece indivisa, sua bondade é seu poder.

Ou: o amor de Deus é seu poder que é sua eternidade que é sua imutabilidade que é sua onisciência que é sua bondade e assim por diante. Em outras palavras, tecnicamente não existe algo como atributos (plural), mas somente a essência simples e indivisa de Deus. Por que isso é importante? A simplicidade de Deus nos ajuda a entender que existe perfeita consistência nos atributos de Deus.
  1. Deus é infinito.

A infinidade de Deus é como um “metra-atributo”, como a simplicidade, no sentido de que qualifica todos os outros atributos. Infinidade significa que não há limite nas perfeições de Deus. Quando consideramos os atributos de Deus, devemos sempre considerá-los infinitos. Sua infinidade é um conceito positivo, de forma que devemos dizer que seus atributos são intensiva e qualitativamente infinitos. A infinidade de Deus é o sentido mais elevado de perfeição. “Ainda por concluir” (ou “indefinido”) é uma maneira imprópria de entender o infinito com relação a Deus. Pelo contrário, sem limites, graus ou fronteiras, Deus conhece infinitamente e é uma esfera cujo centro está em todos os lugares e a circunferência em lugar algum. Ele está tão presente em nosso meio quanto está longe de nós no universo. Todavia, embora ele esteja presente em um lugar, ele nunca está confinado a algum lugar.
  1. Deus é eterno.

Primeiro, sua eternidade é diferente do estado eterno experimentado por humanos ou anjos, os quais foram todos criados no tempo. O tempo tem um começo com uma sucessão de momentos, mas Deus não tem começo, sucessão de momentos ou fim. A eternidade de Deus revela sua natureza atemporal e imutável (porém não estática). Como os teólogos do passado argumentaram, a declaração “o tempo começou com a criatura” soa mais verdadeira que “a criatura começou com o tempo”.
  1. Deus é imutável.

Deus é o que ele sempre foi e será (Tiago 1.17). Por causa de sua simplicidade, sua eternidade requer sua imutabilidade. A eternidade diz respeito à duração de um estado, enquanto imutabilidade é o próprio estado. Imutabilidade em Deus significa não somente que ele não muda, mas também que ele não pode mudar (Sl 102.26).
  1. Deus é independente.

A independência de Deus é sua suficiência. A partir de sua autossuficiência há dons o bastante, naturais e sobrenaturais, para satisfazer todas as criaturas que já vieram à existência. O Pai, o Filho e o Espírito Santo satisfazem um ao outro. Porque fazem isso eterna e imutavelmente em amorosa comunhão, eles podem satisfazer outros com quem eles têm comunhão em amor. Se houvesse mundos infinitos de criaturas amorosas, todas desejando felicidade em Deus, ele poderia tão facilmente abençoar todas como abençoar uma. Ele é todo vida, de forma que todos fora dele derivam vida dele.
  1. Deus é onipotente.

Ao discutir o poder de Deus, os teólogos tipicamente distinguem entre seu poder absoluto e seu poder ordenado. Poder absoluto refere-se ao que Deus pode possivelmente fazer mas não necessariamente faz. Ele poderia criar um bilhão de mundos de criatura vivas, e decidir não criar. O poder ordenado de Deus denota o que ele realmente decretou de acordo com sua vontade e, então, providencialmente cumpre. Com esse vocabulário, não estamos estabelecendo dois poderes distintos em Deus, mas entendendo sua onipotência por meio da aplicação (poder ordenado) e não-aplicação (poder absoluto). O poder de Deus também deve ser entendido como “governado” por ou exercido de acordo com sua natureza. Seu poder deve ser um poder bom.
  1. Deus é amor.

Há três tipos de amor externo exercidos por Deus:
  • O amor universal de Deus por todas as coisas: “O Senhor é bom para todos, e as suas misericórdias são sobre todas as suas obras” (Sl 145.9). Mesmo as criaturas da terra são beneficiárias do amor de Deus.
  • O amor de Deus por todos os seres humanos, eleitos e réprobos: “Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; Porque faz que o seu sol se levante sobre maus e bons, e a chuva desça sobre justos e injustos” (Mt 5.44-45). Deus ainda ama uma pessoa que o odeia e rejeita, garantindo-lhe até a capacidade de manifestar esse ódio em pensamentos, palavras e ações.
  • O amor especial de Deus por seu povo: “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pe 2.9).
  1. Deus se relaciona conosco antropomorficamente.

Quase tudo o que pertence aos seres humanos nas Escrituras também é atribuído a Deus. A Bíblia fala da “face” de Deus (Ex 33.20), dos “olhos” e “pálpebras” (Sl 11.4), “ouvido” (Is 59.1), “narinas” (Is 65.5), “boca” (Dt 8.3), “lábios” (Is 30.27), “língua” (Is 30.27), “dedo” (Ex 8.19) e muitas outras partes do corpo. A Bíblia é antropomórfica de capa a capa. Deus acomoda-se a nós na Escritura e, às vezes, apropria-se de um vocabulário que nos ajuda a entender certas verdades sobre ele.
  1. Os atributos de Deus brilham mais claramente na pessoa e obra de Cristo.

Ele é a imagem do Deus invisível. Cristo revela o Pai a seu povo. Na vida, morte e ressurreição de Cristo, vemos os atributos de Deus manifestos por toda a parte. Conhecer a Deus é conhecer a Deus por meio de Jesus Cristo.
 
Retirado do Site O Pentecostal Reformado - Cedido Gentilmente

Cosmovisão Cristã ( As Lentes da Fé)

Enxergando o mundo com as lentes da fé,  e vivendo com plenitude a vida cristã .

revista cosmovisão.png

 

Para muitos de nós brasileiros que professam a fé cristã, a religião é algo restrito ao âmbito particular. Isso se deve à cultura em que estamos inseridos, que procura de todas as formas nos sufocar e se possível nos excluir do debate cultural.

Nesta edição veremos que todo este aparato ideológico e anticristão de nossos dias nada mais é, que o resultado de inúmeras cosmovisões que se impõe nos corações dos homens afim de dominá–los. Veremos também que a falta de uma cosmovisão cristã definida pelos cristãos atuais, tem contribuído para essa decadência moral e espiritual.

Precisamos o quanto antes voltarmos a pensar biblicamente. Sair de nossos arraiais e devolver ao mundo a sanidade intelectual que é alicerçada na Verdade Imutável de Deus.

”O cristianismo não é uma série de verdades no plural, mas é a Verdade escrita com V maiúsculo. É a Verdade sobre a realidade total, não apenas sobre assuntos religiosos.” (Francis Schaeffer )

Assuntos da Revista

ENTENDENDO A COSMOVISÃO CRISTÃ

SEIS COSMOVISÕES DOMINANTES NO MUNDO

A IMPORTÂNCIA DA DOUTRINA BÍBLICA

10 COISAS QUE VOCÊ DEVERIA SABER SOBRE OS ATRIBUTOS DE DEUS

O PASTOR E SEU VERDADEIRO CHAMADO

E Muito mais….

 

Baixar Gratuitamente a Revista Cosmovisão Cristã

 

O Treinamento dos 12 - Recomendado aos Cristãos

O Treinamento dos 12 - Recomendado aos Obreiros

O-treinamento-dos-doze.jpg

 O Treinamendo dos 12, é um Livro maravilhoso para estudiosos e Obreiros da Seara do Senhor. Um Dos livros mais completos quando se fala em treinamento cristão e liderança, Veja os Detalhes do Livro:

Neste livro o autor oferece lições práticas sobre teologia e liderança, que trarão sólido conteúdo para estudos bíblicos, pregações e liderança. Um eterno clássico que encoraja líderes a desenvolver seus dons para o reino de Deus, crescendo em oração, fé, sacrifício, santidade e muito mais. Além disso traz uma análise histórica e devocional sobre a liderança de Jesus e o aprendizado de seus discípulos. 
O Treinamento dos Doze é um título necessário para pastores, professores, seminaristas e estudiosos.

Autor:

A.B.Bruce
Nascido em 31 de janeiro de 1831 Alexander Balmain Bruce foi um escocês clérigo e teólogo. Ele era um ministro da Igreja Livre da Escócia, nasceu em Aberargie perto de Perth, na Escócia. Seu pai sofreu por sua adesão à Igreja Livre no rompimento de 1843 , e se mudou para Edimburgo , onde Alexander foi educado. Depois de servir como primeiro assistente na Ancrum , em seguida, em Lochwinnoch , ele foi chamado para Cardross em Dumbartonshire, em 1859, e Broughty Ferry , em 1868. Lá ele publicou seu primeiro trabalho exegético, a formação dos Doze. Bruce prestou um grande serviço, foi organizador da comissão que emitiu o Free hinário da Igreja. Morreu no dia 07 de agosto de 1899 e foi enterrado em Broughty Ferry.

 

Saiba Mais>>>

Eu quero viver para Cristo como Paulo

Livro Cristão: Eu quero viver para Cristo como Paulo

eu-quero-viver-para-cristo-como-paulo.jpg

 O que é preciso para se tornar um homem de impacto real e permanente? Ter fama? Riqueza? Status? Para Jim George, apenas a Bíblia contém todos os verdadeiros princípios para um impacto duradouro. Eu quero viver para Cristo como Paulo, lançado pela Graça Editorial, mostra que, realmente, só é possível exercer essa influência eterna ao vivermos de acordo com as orientações das Escrituras Sagradas.

De forma clara e detalhada, a partir da vida do apóstolo Paulo, Jim George explora os dez passos para a eficiência extrema. Em cada capítulo, o autor fala sobre um deles: Bíblia, oração, obediência, desafios, disciplina, metas, santidade, serviço, excelência e discipulado.

“Deus nos deu Paulo como um nobre exemplo a ser seguido. Que cristão não desejaria viver tão poderosamente quanto Paulo? Tomando o exemplo desse homem maravilhoso, você e eu podemos causar grande impacto em casa, na família, no trabalho, na igreja e na vizinhança! Ao passo que observamos como Deus trabalhou por intermédio de Paulo (e de outros), vamos decidir juntos, desde o início, deixar que Deus trabalhe em nós e faça algumas mudanças essenciais”, enfatiza o autor.

Eu quero viver para Cristo como Paulo enfatiza, de um jeito contemporâneo, como fazer a verdadeira diferença, com base nas Escrituras Sagradas.

Graça Editorial