Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mundo Cristão e Novidades

Informações e Novidades sobre o mundo cristão

Mundo Cristão e Novidades

Informações e Novidades sobre o mundo cristão

A Humildade Cristã e a definição mundana de humildade

A Humildade Cristã e a definição mundana de humildade

lavaps_200_200.jpg

 Por Michael J. Kruger  

 

Uma das objeções mais comuns feitas às reivindicações absolutas do cristianismo é de que os cristãos são arrogantes. Os cristãos são arrogantes ao afirmar que estão certos, arrogantes ao afirmar que os outros estão errados; arrogantes ao afirmar que a verdade pode ser conhecida. Infelizmente, no meio de tais acusações, ninguém se preocupa em perguntar que definição de humildade está sendo usada. Ao longo dos anos, a definição de humildade sofreu uma gradual, mas ainda assim profunda, mudança. Especialmente na comunidade intelectual. Atualmente, humildade se tornou, basicamente, sinônimo de outra palavra: incerteza. Estar incerto é ser humilde. Estar certo é ser arrogante. Assim, o pecado capital no mundo intelectual é afirmar saber alguma coisa com certeza.
 

Claro, essa mudança representa um problema real para o cristianismo. Os cristãos acreditam que Deus revelou-se claramente em sua Palavra. Assim, quando se trata de questões históricas importantes (Quem foi Jesus? O que ele disse? O que ele fez?) ou questões teológicas importantes (Quem é Deus? O que é o céu? Como se chega lá?), os cristãos acreditam que têm uma base sobre a qual podem afirmar com certeza: a revelação de Deus. Na verdade se afirmarmos não saber a verdade sobre tais assuntos, isso seria negar a Deus e negar sua Palavra. (Isso não significa, é claro, que os cristãos estão certos sobre tudo, mas podem estar seguros sobre essas verdades básicas do cristianismo).
 

Assim, para os cristãos, humildade e incerteza não são sinônimos. Uma pessoa pode estar certa e ser humilde ao mesmo tempo. Como? Por esta simples razão: os cristãos acreditam compreender a verdade apenas porque Deus revelou a eles (1 Coríntios 1.26-30). Em outras palavras, os cristãos são humildes porque sua compreensão da verdade não se baseia em sua própria inteligência, em sua própria investigação, em sua própria perspicácia. Pelo contrário, é 100% dependente da graça de Deus. Conhecimento cristão é um conhecimento dependente. E isso leva à humildade (1 Coríntios 1.31). Isto obviamente não significa que todos os cristãos são pessoalmente humildes. Mas significa que eles devem ser, e que têm motivos suficientes para ser.
 

Embora cristãos tenham uma base sobre a qual podem ser humildes e estar certos ao mesmo tempo, não é necessariamente o caso com as outras cosmovisões. Considere o ateu, por exemplo. Ele é bastante seguro de muitas coisas (ao contrário da sua afirmação de que não se pode ter certeza de nada). Ele está certo de que ou Deus não existe (ateísmo pesado), ou de que não se pode saber se Deus existe (ateísmo leve). E, em sua crítica ao cristianismo, estão absolutamente certos de que os cristãos estão errados ao afirmar que estão certos. Em essência, o ateu está afirmando: “Eu sei o suficiente sobre o mundo para saber que uma pessoa não pode ter uma base para a certeza.” Isso em si é uma afirmação bastante dogmática.
 

Mas, sobre o que o estão baseadas essas afirmações de amplo alcance dos ateus sobre o universo? Em sua própria mente finita, caída e humana. Ele tem acesso apenas ao seu próprio e limitado conhecimento. Então, agora devemos fazer a pergunta novamente: Quem está sendo arrogante? O cristão ou o ateu? Ambos reivindicam estar certos sobre um grande número de questões transcendentais. Mas um faz isso enquanto afirma ser dependente da pessoa que sabe essas coisas (Deus), e o outro faz dependente apenas de si mesmo. Se uma das posições é uma postura de arrogância, não seria a cristã.
 

Sem dúvida, o ateu se oporia a essa linha de raciocínio pelo fato de ele rejeitar a Bíblia como revelação divina. Mas, isto sai completamente da questão. O ponto não é se ele está convencido da verdade da Bíblia, mas a questão é qual visão de mundo, do cristão ou do ateu, tem uma base racional para reclamar certezas sobre questões transcendentais. Somente o cristão tem essa base. E já que seu conhecimento de tais coisas é dependente da graça divina, ele pode ser humilde e seguro, ao mesmo tempo.
 

 

Traduzido por Josie Lima | iPródigo.com | original aqui - Bereanos

Seu Cristianismo Está Doente

“Se formos fracos em nossa comunhão com Deus, seremos fracos em tudo”  Spurgeon

“Em tudo seja você mesmo um exemplo para eles, fazendo boas obras. Em seu ensino, mostre integridade e seriedade; use linguagem sadia, contra a qual nada se possa dizer, para que aqueles que se opõem a você fiquem envergonhados por não poderem falar mal de nós.” Tito 2:7-8

seu-cristianismo-esta-doente.jpg

 Quantas vezes você ora durante o dia? Três vezes? Duas? Uma? Ok, vou simplificar. Quantas vezes você ora durante a semana? Mais simples, quantas vezes você ora durante o mês? O ano? Você ora? Quantas vezes você lê a Bíblia durante a semana? O mês? Qual foi a ultima vez que você tocou em sua Bíblia? Talvez você diga pra mim, mas Izabela eu trabalho, eu estudo, eu tenho filhos,  e etc, não tenho tempo de orar e ler a Bíblia. Tudo bem, vamos pular para uma outra questão. Como vão os seus relacionamentos? Amizades, namoro, relacionamento familiar e etc. Todos são cristãos não é? Não? Ok, mas então você é a referência deles, correto? Quando eles pensam em alguém integro, que não fala palavras chulas, que tem a capacidade de perdoar, não mente, não planeja o mal, ama as pessoas ainda que nem as conheça ou ainda que as mesmas o tenham feito algum mal, que paga suas contas, respeita as pessoas, cumpre com suas promessas, eles pensam em você não é? Não?

Certo, então vamos para outra questão. Quando você se relaciona afetivamente com alguém, você o faz visando o matrimônio não é? Você apenas se relaciona com uma pessoa, se for para que o relacionamento gere frutos que seria uma família para que a mesma glorificasse a Deus. Você não tem a capacidade (molecagem) de se relacionar com alguém, apenas para usar e abusar do corpo da outra pessoa, visando saciar uma de suas necessidades básicas (sexo) não é? Até porque, você sabe que essa prática é completamente reprovável, não é? (1 Coríntios 7:1-2 – 1 Coríntios 6:18-19) Não? Dessa forma querido, sinto informar mas… Você não é cristão. Se arrependa!

Infelizmente, é o que tenho visto em muitos lugares por onde vou, pessoas dizendo o tempo todo “eu sou cristã”  “nós temos que impactar o mundo” “vamos evangelizar” e blá blá blá, pessoas que conseguem discutir assuntos teológicos de forma firme, profunda e precisa, mas quando vou analisar a vida da pessoa…encontro uma série de faltas, uma série de espaços largos _não brechas_  para o pecado chegar, se assentar e “tomar uma xícara de chá”. Isso me entristece e então eu penso, eu sou um ser humano, minha natureza é também depravada, jamais conseguirei a santificação por meios próprios e ainda assim, consigo me sentir mal com essas situações, o que será que Deus que é Santo, não sente quanto a isso?  Talvez neste momento você esteja pensando: Ok Izabela, , mas você também não é santa. E tudo que posso te responder é: Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo. 1 Pedro 1:16  Eu não sou santa, sou uma pecadora que busca todos os dias pelo perdão divino, alguém que reconheceu que precisa se arrepender verdadeiramente de seus maus feitos e largar os atos cometidos.

Queridos entendam, não há como agradar a dois deuses (Mateus 6.24), precisamos nos posicionarmos, a não ser que sejamos moleques espirituais. Se este for o caso, então por gentileza lhe faço um pedido, em defesa do evangelho que é a salvação de todo aquele que nele crê (Romanos 1. 16), DESISTAM, recuem, renunciem. Sabe porque vos peço isso? Porque moleques espirituais, bagunçam todo o rebanho, pessoas assim infelizmente tem uma capacidade de influencia muito grande e dessa forma, são capazes de fazer muitos caírem e muitos, não chegarem perto do evangelho. Se o seu comportamento é de um pseudo cristão, por favor se arrependa, do contrário vá em frente e desista. Do ponto em que a nossa humanidade tem chegado, a ultima coisa que se quer agora, são pessoas fracas em sua comunhão com Deus.

Livro Cristianismo descomplicado de Augustus Nicodemus

Cristianismo descomplicado - Augustus Nicodemus

11173p.jpg

 Augustus Nicodemus possui o dom precioso de traduzir questões complexas da fé em conhecimento acessível a todos. Em Cristianismo descomplicado, ele traduz o hermético teologuês para o português do dia a dia, mostrando com isso que a teologia é para todos.

Cristianismo descomplicado desvenda um emaranhado de assuntos que desafiam a cosmovisão cristã, como ideologia de gênero, sofrimento, divórcio e novo casamento, submissão feminina, sexualidade sadia, possessão demoníaca e suicídio.

A formação intelectual e o conhecimento teológico do autor tornam-se acessíveis graças a sua singular clareza de pensamento, que permite ao leitor compreender uma perspectiva bíblica sobre as questões que mais confrontam o cristão nos dias atuais.

 

Sobre o Autor:

Augustus Nicodemus é pastor titular da Primeira Igreja Presbiteriana de Goiânia (GO), escritor e professor convidado do
Centro Presbiteriano de Pós-Graduação Andrew Jumper. Bacharel em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Norte (Recife), mestre em Novo Testamento pela Universidade Reformada de Potchefstroom (África do Sul) e doutor em Interpretação Bíblica pelo Westminster Theological Seminary (EUA), com estudos no Seminário Reformado de Kampen (Holanda), atualmente, é vice-presidente do Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil. Casado com Minka Schalkwijk, é pai de Hendrika, Samuel, David e Anna.
 

Espiritualidade em família - Michelle Anthony

A importância dos valores bíblicos na educação dos filhos

11164p.jpg

Todo pai e toda mãe sabem que criar filhos é uma tarefa difícil e para a qual não há manual de instrução. Desejamos sempre o melhor para nossos filhos e nos esforçamos para que a educação que oferecemos produza não apenas um comportamento adequado, mas também uma base sólida para os desafios que a vida lhes reserva.

Como não somos máquinas programáveis, invariavelmente mães, pais e filhos falham, frustrando mesmo as melhores intenções. A boa notícia é que Deus compreende nossas imperfeições e espera de nós tão somente um coração e alma cheios de seu Espírito que reflitam o amor a ele e ao próximo.

E é a partir desse coração que vibra pelo Criador que pais e mães podem transmitir aos filhos o que realmente importa: a fé e a obediência a Deus. Espiritualidade em família apresenta dicas e exemplos sobre como pais e mães podem desempenhar seu papel de modelos espirituais para seus filhos.

No livro, Michelle Anthony nos ensina como encontrar em Deus a base do relacionamento com nossos filhos. Desmistificando o ideal de perfeição paterna ou materna, a autora incentiva o leitor a buscar uma vida cheia do Espírito a fim de transmitir a vibração de sua fé para seus filhos.

“Quero criar o filho ou os filhos que Deus me concedeu de modo que eu possa em primeiro lugar honrar o Senhor e, em segundo, criar o melhor ambiente possível para colocá-los no caminho do Divino.” Michelle Anthon

Saiba mais>>>

Criação ou Evolução ? (Entrevista com Propagador do Design Inteligente)

Entrevista Exclusiva e completa do Propagador da Teoria do Design Inteligente no brasil, no programa Vejam Só da Rit tv.

O desenho inteligente, design inteligente ou projeto inteligente (em inglês Intelligent Design) é uma teoria científica, baseada na assertiva de que certas características do universo e dos seres vivos são melhor explicadas por uma causa inteligente, e não por um processo não-direcionado como a seleção natural; e que é possível a inferência inequívoca de projeto sem que se façam necessários conhecimentos sobre o projetista, seus objetivos ou sobre os métodos por esse empregados na execução do projeto.

 

Programa veiculado em rede nacional nesse mês de Junho (2017) falando sobre Design Inteligente com o Dr. Marcos Eberlin. )

O que é Design Inteligente?

Será que existe sinais de Design Inteligente no Universo?

A teoria do design inteligente sustenta que certas características do universo e dos seres vivos são melhor explicadas por uma causa inteligente , e não por um processo não-direcionado como a seleção natural. 

O Que é o Design Inteligente?

O desenho inteligente, design inteligente ou projeto inteligente (em inglês Intelligent Design) é uma teoria científica, baseada na assertiva de que certas características do universo e dos seres vivos são melhor explicadas por uma causa inteligente, e não por um processo não-direcionado como a seleção natural; e que é possível a inferência inequívoca de projeto sem que se façam necessários conhecimentos sobre o projetista, seus objetivos ou sobre os métodos por esse empregados na execução do projeto.